terça-feira, 14 de maio de 2013

.Tem nós em mim

Te falo sobre o tempo, sobre a chuva torrencial da noite passada ou do calor insuportável que anda acabando com o meu humor. Das besteiras do meu dia, da apresentação fantástica daquelas moças francesas que gostamos tanto, do novo de Caê, da nossa eterna falta de grana. Te encho de assuntos vagos, amenos e silêncios doces. Te escuto entre um xícara de chá de camomila e a calma de um final de um domingo de inverno.
É tão fácil, é tão calmo e sereno, é como dar um longo suspiro sem medo ou ansiedade. Ter certeza do hoje, do agora, do nós e não ter medo do amanhã, nem do depois.
Encostar minha cabeça em seu peito e dormir com o som compassado e te ver despertando,assim, de mansinho com o sol batendo entre persianas claras ou correndo entre o penúltimo e último toque do despertador.
Te ler entre poemas de Leminski e alguém cantando na vitrola ( seria Clara Nunes?), sentir seu cheiro entre alecrim,manjericão e panelas batendo.
Brigar, gritar e fazer a pazes em minutos (que mais parecem horas)
Deitar meus olhos nos seus, enlaçar meus dedos em seus cachos e saber que é tudo tão pouco e tão tanto,tão meu, tão seu, tão nós.
Gérberas no vaso, tarde de domingo e sorriso no peito

2 comentários:

Eta Pô disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eta Pô disse...

Beautiful